VDMFK - Vereinigung der Mund- und Fussmalenden
Künstler in aller Welt, e. V.

Prof. Arnulf Erich Stegmann, iniciador da APBP

Data de nascimento: 4.3.1912
Data da morte: 5.9.1984
Presidente de 1957 a 1984

O presidente fundador Arnulf Erich Stegmann nasceu em Darmstadt a 4 de Março de 1912. Aos dois anos perdeu o uso dos braços e das mãos, devido à poliomielite. O seu talento artístico foi reconhecido em tenra idade pelos seus professores. Conseguia pintar a óleo com pincel e espátula de forma tão segura como com aguarelas. Conseguia desenhar em pedras com uma pena ou com ferramentas de gravação, bem como cortar linóleo e madeira, e esculpir, sempre com a ferramenta na boca. Estudou na Escola Técnica Profissional de Contabilidade e Gráfica de Nuremberga, foi aprendiz principal no Atelier de Erwin von Kormöndy e Hans Gerstacker e realizou inúmeras viagens de estudo a Itália. Stegmann foi membro da Sociedade de Belas Artes “Schutzverbandes Bildender Künstler” em Munique, e da “International Arts Guild” em Monte-Carlo.

As suas obras já foram expostas em todos os cinco continentes do Mundo. Além disso, apresentou os seus trabalhos em exposições individuais, entre outras localidades, em Munique, Vaduz, Hamburgo, Atenas, Berlim, Roma, Florença e Jerusalém. Recebeu as seguintes honras e distinções:

  • Commendatore – Grande ufficiale/Militaris
  • Hospitalisque Ordinis Georgiani ex Carinthia, Roma 1963
  • Membro da Academia Tiberina, Roma 1964
  • Officier de l‘ordre de mérite, Paris 1971
  • Prémio de Arte do VdK, Alemanha 1974
  • Diploma honorário da State University of New York, Buffalo 1977
  • Grand Prix Humanitaire de France, 1979.

Marlyse Tovae, 2ª Presidente

Data de nascimento: 27.7.1933
Data da morte: 28.7.2001
Presidente de 1985 a 2001

Marlyse Tovae nasceu sem braços, a 27 de Julho de 1933, em Estrasburgo. Ainda muito pequena aprendeu a desempenhar as tarefas do quotidiano com os pés. Frequentou a escola primária e, mais tarde, um liceu feminino. Desde muito cedo, a talentosa jovem dedicou-se à arte de pintar e desenhar. A artista pinta com o pé direito. Os seus pés tornaram-se órgãos muito sensíveis e ferramentas para todas as circunstâncias da vida. Mais tarde, a pintora com o pés estudou em Estrasburgo com a conhecida pintora Marthe Kiehl, e frequentou a escola de arte de Estrasburgo. A artista recebeu prémios ainda durante a formação. As naturezas-mortas, paisagens e composições desta artista tinham, de início, uma grande expressividade. Marlyse Tovae via nas suas representações de animais o centro dos seus interesses artísticos. Com o tempo, a pintora com os pés passou a um estilo de pintura mais abstracto. Também produzia cerâmica, trabalhos em metal e mosaicos de grande formato, cujo tratamento artesanal e expressão visavam a perfeição.

Marlyse Tovae fazia parte dos membros fundadores da associação. Na reunião geral de 1959 em Edimburgo, foi nomeada para o Conselho de Administração da APBP. Após o falecimento do fundador e primeiro presidente da APBP, Arnulf Erich Stegmann, os membros elegeram Marlyse Tovae para presidente da APBP na reunião geral de 1985, em Madrid. Ela conseguiu participar em exposições em muitas cidades do mundo. Apresentou as suas obras, entre outras, em Paris, Estrasburgo, Viena, Roma, Sidney, Zurique, Tóquio, Estocolmo e em inúmeras outras metrópoles. No decorrer da sua vida, Marlyse Tovae recebeu muitas honras e distinções.

Eros Bonamini, 3º Presidente

Data de nascimento: 20.12.1942
Presidente de 2002 até à data

Eros Bonamini teve uma infância tranquila. Estava a estudar numa escola técnica quando sofreu um acidente de desporto que mudou a sua vida. Ao mergulhar numa corrida magoou a coluna e desde então ficou confinado à cadeira de rodas. Durante uma longa pausa, na qual aprendeu a viver com a sua nova condição corporal através de terapia, desenvolveu uma paixão pela literatura e música clássica. Nesta altura descobriu também a pintura, que rapidamente se transformou no tema central da sua vida. Em 1966 tornou-se membro pleno da APBP.

Eros Bonamini, que assina os quadros com o nome artístico "Veronese", desenvolveu o seu grande talento como pintor com a boca num período incrivelmente curto, estudando com dois professores. O seu trabalho criativo baseia-se na tradição do cubismo, o que se reflecte nas suas naturezas mortas e paisagens. Nas suas composições revela-se claramente o seu intelecto artístico. Desde 1965 tem vindo a mostrar as suas obras em exposições individuais e a solo em todo o mundo. Com elas veio o hábito de receber excelentes críticas artísticas pelo seu trabalho.

Em 1984, este italiano foi eleito pela primeira vez para o Conselho de Administração da Associação. Após 18 anos, por ocasião da 9ª Reunião geral em Lisboa, em 2002, Eros Bonamini foi eleito o 3º Presidente da APBP, cargo que ocupa até hoje com grande sucesso.